quinta-feira, 6 de novembro de 2014

"Não é uma visão preconceituosa, é realista" diz professor acusado de racismo na Ufes

Prof. Manoel Luiz Malaguti acusado de racismo por alunos da Ufes
Um grupo de alunos da Universidade do Espírito Santo (Ufes) denunciou um professor por preconceito racial durante uma aula na última segunda-feira (3). A pós dizer que não gostaria de ser atendido por um médico negro, o professor Manoel Luiz Malaguti causou revolta nos alunos que estavam na sala.

A ouvidoria da universidade informou que recebeu nesta terça-feira (04) a denúncia encaminhada por estudantes contra um professor da instituição que teria pronunciado afirmações de caráter racista e preconceituoso em sala de aula.

No site da universidade, a ouvidoria afirmou que a denúncia será encaminhada ao diretor do Centro de Ensino no qual o professor está lotado a fim de que seja aberta uma sindicância para analisar o caso. Se as denúncias forem comprovadas, o resultado da sindicância será encaminhado à Reitoria para a abertura de um inquérito administrativo.

Em entrevista ao Gazeta Online o professor explicou que a frase foi dita durante uma discussão sobre cotas raciais na universidade e reiterou que se pudesse escolher entre dois médicos com o mesmo currículo, um branco e um negro, optaria pelo médico branco.


A Ufes destacou que repudia todo e qualquer ato ou manifestação preconceituosa em seus campi, e afirma que desenvolve políticas afirmativas de assistência estudantil que reforçam seu compromisso com o exercício pleno da cidadania a todos os estudantes, a democratização das condições para o acesso e permanência dos alunos nos cursos de graduação, a defesa da justiça social e a eliminação de todas as formas de discriminação.