terça-feira, 10 de maio de 2016

Jovem Acadêmico: Acompanhou a tribuna do júri na comarca de Paço do Lumiar

Hilton silva, Zé Carlos (meio), Berilo
O Tribunal do Júri de Paço do Lumiar se reuniu na manhã desta segunda-feira (9), para julgar Adenilton Ferreira Madeira acusado de ser o autor da morte de Izanildo de Jesus Pereira.
Segundo o ministério Público, o crime aconteceu por volta de 1h da madrugada do dia seis de setembro de 2004, no bar “fura balão”, em Iguaíba, Paço do Lumiar.
De acordo com o órgão ministerial, Adailton estava no bar quando se desentendeu com Gregório Silva Fonseca, que teria saído em defesa de uma jovem identificada apenas como Janaina que teria sido agredida por se negar a continuar dançando com o acusado.
O acusado teria então sacado um revolver e efetuado um tiro em direção a Gregório Silva Fonseca, não o atingindo por ele ter se jogado ao chão e depois se evadido do local.
A bala atingiu Izanildo de Jesus Pereira que, segundo as testemunhas, não tinha nada a ver com a briga.
Em depoimento prestado durante a sessão do Tribunal do Júri, Adenilton negou que tenha sido o autor do disparo contra Gregório Silva, e o que atingiu Izanildo de Jesus Pereira, mas não convenceu os jurados que o condenaram a 12 anos de prisão a serem inicialmente cumpridos em regime fechado na penitenciaria de Pedrinhas. O acusado vai recorrer em liberdade.
O Ministério Público, representado pela promotora Tereza Maria Muniz, sustentou a tese de homicídio qualificado.
Na trincheira da defesa atuaram os advogados José Berilo e Zé Carlos, que defenderam a tese de negativa de autoria.

Veja vídeo com Dr. Berilo e Zé Carlos: