sexta-feira, 24 de março de 2017

Mais uma vez Marinho do Paço demonstrou descontrole nos atos do legislativo luminense




A falta de legitimidade e o desconhecimento técnico pode sim derrubar uma estrutura. Os eventos ocorridos nos atos do legislativo luminenese, vem pondo em questão esta capacidade e sem dúvida abre precedentes  ao seu funcionamento que de forma reiterada tornou-se berço de confusão aquela casa que  preside, o vereador Marinho do Paço (PROS). Como já dizia o sofista Protágoras, “O homem é a medida de todas as coisas”  Isto quer dizer que cada pessoa, pensa, deseja e busca algo para si, de tal forma única que impossibilita que exista uma verdade absoluta.

E nesta sessão desta sexta-feira (24), houve protagonização de cenas constrangedora ao legislativo luminense. Depois de ser publicada pelo presidente do legislativo portaria que impedi qualquer tipo de manifestação por parte da população no recinto da Câmara, e de tentar calar os profissionais de comunicação do município, agora o vereador usa sua prerrogativa de presidente, para proibir seus colegas de parlamento, de fazer o uso da palavra no plenário, como se lá fosse a sua casa.

O fato ocorreu quando o vereador Leonardo Bruno (PPS) estava discursando na plenária e passou a palavra ao seu colega de parlamento, o vereador Miguel Ângelo (PRP). De imediato o vereador Marinho do Paço cortou o microfone do edil, sem nenhuma justificativa, o que causou revolta nos demais vereadores.

Populares que foram assistir a sessão, para acompanhar de perto aprovação dos projetos que beneficiam o povo, ficaram surpresos pela reação destemperada do inexperiente presidente, que acabou sendo hostilizado: "Palhaço! Palhaço!" Gritou o povo.

Certamente o vereador Marinho teve esta reação, em função de estar completamente perdido em relação ao cumprimento regimental de suas atitudes, tentando impor suas bravatas, como se estivesse em sua própria casa.

O vereador não tem dado a minima ao regime interno, tão pouco demonstra valor de cada uma das regras que regulam a sociedade organizada e, principalmente, saber cumpri-las, com prudência, decoro, decência e com responsabilidade.

São condutas como as que tomou, que leva ao povo luminenese a fazer avaliação crítica e de valores de repudio o vereador Marinho.

Vídeo abaixo