terça-feira, 17 de julho de 2018

Resposta a nota de repúdio divulgada pelo sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Maranhão.

Nota do Sindicato

A Secretária de Desenvolvimento Social do Município de Paço do Lumiar, Nelzenir de Paula Maia, vem se manifestar a respeito da nota de repúdio publicada pelo Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Maranhão – SASEMA, onde fora mencionada uma suposta perseguição a uma servidora, de maneira imprudente, irresponsável, e inverídica, baseada somente na denúncia de uma funcionária, e sem qualquer prévia investigação do que fora alegado por esta. 

A reunião mencionada de fato aconteceu, pacificamente, com a presença de vários coordenadores da secretaria, onde foram abordados todos os pontos questionados pelo sindicato. Somente no intuito de que fossem esclarecidas supostas falhas apresentadas quanto ao funcionamento da assistência neste município. 

Em momento algum houve qualquer tentativa de intimidação a funcionária, sendo esta convocada devido ao fato de ser parte interessada enquanto associada e conselheira municipal de assistência social representante dos trabalhadores do SUAS. 

A tomada de decisão de transferi-la de setor, já era algo que vinha sendo discutido antes mesmo da reunião em questão, devido a necessidade de uma funcionária com maior disponibilidade de horário para exercer a função que até então lhe era atribuída. 

A secretária quanto gestora, pode e deve fazer qualquer alteração que ache necessária para uma melhor prestação dos serviços, tendo sua tomada de decisão sido amplamente discutida com seus coordenadores e tratada com a funcionária assim que esta chegou ao seu local de trabalho.Ocorre, que devido a mudança de coordenação do RH, houve conflito de informações, onde conseguimos informa-la somente no dia da sua transferência pela manhã. 

Assim, diante dos esclarecimentos dos fatos, contamos com a postura ética e imparcial da diretoria do sindicato para que façam uma retratação pública devido a difamação injusta a secretária Nelzenir Maia, sem antes ter feito qualquer averiguação do que realmente aconteceu. Desta forma, evitando quaisquer prejuízos a esta e outros profissionais com atitudes parciais.